29 de mar de 2017

maquiagem



Eu, criada entre os 60 e 70 em meio à hiponguice, de tênis e jeans, até hoje me sinto ‘enganando as pessoas’ se tiver que me maquiar... não sei me maquiar.
Me viro razoavelmente se a coisa não for muito complexa.
Aí pela ocasião do lançamento do livro, sabendo da festa grandiosa, sentindo o peso da responsa de co-autoria, resolvi comprar um arsenal digno da Lady Gaga.
Voltei da loja com aquele um quilo e meio de potinhos e frascos.
Levei na mala.
Espalho tudo aquilo na pia do hotel, e começo pela base.
A coisa desandou.
Tudo terminado e pareço uma parede rebocada sem a espátula de pedreiro.
Não posso rir que vai craquelar, imagina eu sem rir.
Se chorar também fode todo esse rímel, kajal, escambáu.
Sinistro.
Estou em cima da hora da festa e não coloquei a roupa ainda.
Volto à pia, meto água e sabão (aquele sabonetinho minúsculo de hotel, que parece uma bolacha de maizena).
O rímel, kajal, escambáu não sai... é à prova dágua (ainda estou com ele três dias depois!)
Mas o resto sai, e recomeço minimalista. Deu certo.
Só estou enganando as pessoas sobre mim uns dez por cento: aceitável pra 55 anos.
Na festa chorei pouco, ri muito, nenhuma catástrofe aconteceu.
Que alívio.


.