8 de fev de 2012

filha

.




A coloquei no ônibus.
Depois de dois anos de afastamento, com visitas esporádicas e sabendo tão menos do que se crê direito em imiscuir... enfim ela passou quase que um semestre entre idas e vindas pra cá. Estudou demais, e vi: amadureceu também.
Neste janeiro ficou mais tempo, embora estivesse hospedada em outro lugar, em ótima companhia.
E fomos curando a distância bem devagarinho.
A coloquei hoje no ônibus sem aquela sensação das outras vezes: de falta, de coisa incompleta.
Hoje nós fomos só abraço.
Ela é linda, tão linda e inteligente, tão bom caráter, que lá dentro de mim teima aquele suspiro atávico: meu deus.
Amor que eu aprendi.